Se você já conversou com outros investidores, com certeza havia muitas discussões sobre quais investimentos são melhores. A verdade é que as aplicações financeiras ideais dependem do seu perfil de investidor.

Conhecer suas próprias ambições, limitações e suas demais individualidades é essencial para ser bem-sucedido no mercado financeiro. Então, quer saber qual é o seu perfil de investidor e quais investimentos são os ideais para você? Continue a leitura deste artigo para solucionar todas essas dúvidas!

Como definir meu perfil de investidor

Primeiramente, você deve entender alguns termos e a lógica por trás deles.

Os investimentos de baixo risco e renda fixa são aqueles em que há uma maior segurança no valor retornável. Já as aplicações de renda variável e de médio e alto risco são aqueles em que o retorno é maior, mas não há valor fixo para retorno.

Quanto a isso, é importante saber que tudo depende do gerenciamento do investidor. A renda variável apresenta riscos e não garante ou promete resultados positivos, por isso, é necessário que se faça uma gestão bem controlada do seu capital para aumentar suas chances de sucesso.

Por fim, os termos curto, médio e longo prazo consistem no período de tempo que os investimentos demorarão para trazer retorno.

Também é importante reconhecer o seu grau de conhecimento e experiência na área. Recomenda-se que, quanto mais você souber do assunto, mais você arrisque, pois saberá controlar os riscos até certo grau.

Veja em qual perfil de investidor você se encaixa.

Quais são os perfis

Com os fatores acima explicados, você pode perceber que não há aqueles bons ou ruins — a escolha depende da sua personalidade. Vejamos, agora, uma breve explicação de cada perfil. Assim você será capaz de entender os objetivos de cada um deles, e definir o seu:

Conservador

Priorizando a segurança acima de tudo, seu principal objetivo é preservar seu patrimônio. Então, ele opta por investimentos de renda fixa.

Entretanto, diversos títulos seguros calculam seus rendimentos pela taxa Selic (parâmetro para taxa de juros). E, atualmente, essa taxa está em uma baixa histórica: já alcançou 6,64% ao ano, e há estimativas de que vai descer ainda mais!

Assim, a rentabilidade da renda fixa está cada vez menor. Por essa razão, até mesmo os mais conservadores diversificam sua carteira com ativos mais arrojados.

Então, se você tem um pouco de conhecimento sobre o tema, não compensa colocar todo seu capital em renda fixa. Os investimentos ideais para esse perfil são: títulos públicos, títulos bancários mais conservadores, LCI, LCA (que são garantidos pelo FGC), e fundos de renda fixa e títulos públicos federais.

Moderado

Esse perfil gosta de segurança, mas tem tolerância a riscos de longo prazo — ou seja, dependendo da situação, escolhe alguns investimentos de renda variável.

No geral, ele tem versatilidade e sabe aproveitar o melhor de cada ativo. Os investimentos recomendados são: debêntures e fundos imobiliários e fundos multimercados.

Arrojado

O mais ousado dos perfis, ele entende que as perdas são momentâneas e podem ser superadas, e sabe aproveitar das oportunidades, percebendo grandes lucros. Ele tem bastante conhecido da área, sabe como reduzir perdas e aumentar de forma brusca e rápida o seu patrimônio.

Apesar de se arriscar, é recomendável que ele tenha uma reserva de emergência, para poder se manter seguro em perdas. Grosso modo, costuma investir em ações, fundos de ações, criptomoedas, contratos futuros, entre outros.

Agora, se você se identificou com algum perfil de investidor, já deu o primeiro passo para começar a investir! Porém, saiba que você não estará para sempre limitado a um perfil.

Conforme for adquirindo mais conhecimento na área, você saberá como controlar riscos e aumentar o seu patrimônio, tornando-se mais versátil e arrojado com o tempo.

Então, o que achou desta publicação? Sobrou alguma dúvida? Tem alguma experiência para compartilhar? Deixe-nos os eu comentário!