Existem muitas formas de investir em renda fixa que podem trazer ótimos retornos.

Além disso, a renda fixa também pode ser muito útil para investidores em renda variável, sendo uma fonte de renda segura e uma reserva de emergência, por exemplo.

Para não restar dúvidas sobre qual tipo de investimento escolher, vamos esclarecer todas elas neste post:

  • O que é renda fixa?
  • Onde investir?
  • Vantagens e desvantagens

1 – O QUE É RENDA FIXA?

A renda fixa é uma modalidade de investimento que permite que o investidor saiba desde o início qual será seu retorno futuramente.

Ela tem uma certa previsibilidade sobre o quanto a pessoa irá lucrar com o investimento.

Por isso, investidores com o perfil conservador tendem a optar por essa forma de investir dinheiro.

Existem duas maneiras para escolher como o dinheiro será remunerado.

A primeira delas é por meio do investimento prefixado. Este tipo de investimento permite saber com antecedência qual será o rendimento. Isso é possível pois no dia do investimento a rentabilidade já é predefinida e depois não é alterada por nenhum fator externo.

Já no investimento pós-fixado não é possível saber exatamente qual será o rendimento, pois a rentabilidade está ligada a indexadores externos, como o CDI, SELIC, IPCA e outros.

E qual das duas formas escolher?

Depende de como está o cenário econômico.

Títulos pré-fixados tendem a ter maior rentabilidade em um cenário com economia estável e com tendência de baixa no juros básico e na inflação.

Agora, em um cenário econômico em que há incertezas no mercado com possibilidades de alta na inflação, o investimento pós-fixado oferece taxas melhores.

O investimento prefixado é mais especulativo, pois tende a gerar diferenciais apenas se a queda nos juros se concretizar. Para quem escolhe a renda fixa objetivando ter segurança nos investimentos, o pós-fixado garante maior proteção em momentos de crises no mercado.

2 – ONDE INVESTIR?

Existem muitas maneiras de fazer investimentos em renda fixa.

A primeira delas é aplicar em fundos de investimentos, uma opção para quem tem pouco dinheiro para investir e está começando no mercado financeiro. Fundos de investimentos possibilitam uma diversificação das aplicações.

Outra forma de investir em renda fixa é por meio de investimentos em títulos de renda fixa.

São dois tipos de títulos: os públicos e os privados.

Títulos privados

São vários os tipos de títulos privados. O mais conhecido é o CDB (Certificado de Depósito Bancário).

Os títulos privados funcionam como uma espécie de empréstimo.

Empresas recorrem a esses títulos como método de captação de dinheiro.

Nesse tipo de negociação, a rentabilidade é acordada entre a entidade emissora do título e aquele que concedeu o empréstimo.

Outros tipos de títulos privados são: CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio), CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), LC (Letra de Câmbio), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), LCI (Letra de Crédito Imobiliário), Letra Financeira, FIDC (Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios), DPGE (Depósito a prazo com garantia do FGC), Debêntures.

Títulos públicos

Diferente do título privado, os títulos públicos são empréstimos para entidades governamentais, seja do âmbito federal, estadual ou municipal.

Muitas vezes o objetivo das entidades governamentais ao utilizarem os títulos públicos é de financiar e arrecadar recursos para atividades públicas.

A compra de títulos públicos podem ser feitas por meio do Tesouro Direto, que é uma plataforma pertencente ao Ministério da Fazenda.

Uma das exigências desse programa, é que o investidor possua cadastro com um agente de custódia. Esse agente pode ser um banco ou uma corretora de valores.

3 – VANTAGENS E DESVANTAGENS

Agora que você já conhece um pouco mais sobre como funciona a renda variável, é preciso ponderar seus aspectos negativos e positivos.

Poucos ganhos a curto prazo

Imediatismo não faz parte da renda fixa. Seus lucros costumam ser mais significativos em um espaço maior de tempo. Por isso, para aqueles que querem aumentar o capital rapidamente, a renda fixa talvez não seja a melhor escolha.  

Pode exigir altos valores nos investimentos iniciais

Investimentos como a Letra Financeira e o CRI exigem altos investimentos iniciais. Isso pode ser um problema pois o investidor talvez não consiga comprar outros produtos, e ter não ter uma carteira diversificada não é aconselhado.

Previsibilidade

Investir em renda fixa dá uma maior possibilidade de prever os rendimentos futuros. Ela é uma ótima opção para aqueles que desejam ter investimentos rentáveis e previsíveis a longo prazo.

Liquidez alta

Diversos investimentos em renda fixa possuem alta liquidez devido ao volume elevado de operações. Isso possibilita uma maior segurança ao investidor, pois torna raro o risco de liquidez.

Todo investimento terá seus pontos positivos e também negativos, seja na renda variável ou na renda fixa.

Por isso, é necessário que seus objetivos como investidor estejam bem claros.

Com uma meta definida, fica muito mais fácil decidir se irá optar ou não pela renda fixa.

Gostou desse post? Siga a Foleo nas redes sociais e fique por dentro de todo nosso conteúdo!